Quem sou eu

Minha foto
Mineira,professora graduada em Normal Superior e Letras,posgraduada em psicopedagogia e supervisão escolar. Atualmente estou atuando como supervisora pedagógica , do maternal 3 ao 5º ano. Sejam bem vindos(as)!!!

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Faz de conta na educação infantil /Brincando de casinha

Panelinhas feitas com latinhas é uma ótima opção para brincar de casinha na educação infantil.

                                                      
Devemos valorizar o trabalho das pessoas que fazem artes com materiais recicláveis. Fica maravilhoso!!!

     (Imagens retiradas da internet)












segunda-feira, 31 de agosto de 2015

DOBRADURAS-MATEMÁTICA NO DIA A DIA



MATEMÁTICA NO DIA A DIA DA EDUCAÇÃO INFANTIL



ORGANIZAÇÃO DA OFICINA: KELY TEREZINHA PINTO FRANÇA




A matemática no canto de artes: Exploração de dobraduras
 Dicas que facilitarão o seu trabalho:

ü  Faça as dobras em uma superfície lisa, plana, sólida e bem iluminada;
ü  Utilize papel fino se for iniciante nessa arte ou se for fazer um modelo com muitas dobras;
ü  Evite usar papéis caros no começo se ainda for iniciante;
ü  Mantenha as mãos limpas para não sujar o seu origami;
ü  Antes de começar a dobrar, veja se conhece todos os símbolos das instruções, se não conhecer algum, aprenda antes;
ü  Siga corretamente as medidas sempre que elas existirem;
ü  Acentue os vincos das dobras passando a unha sobre elas;
ü  Siga o passo-a-passo à risca;
ü  Não tenha pressa para terminar, a paciência é muito importante para fazer um origami, principalmente se essa for a sua primeira vez;
ü  Caso se perca na ordem das instruções, não se desespere! Compare o que fez com a figura do diagrama ou do vídeo, se necessário, recomece;
ü  Pratique várias vezes o mesmo modelo. Não se esqueça de que a prática é o que leva à perfeição;
ü  Você pode usar aqueles inúmeros papéis que recebe na rua para praticar;
ü  Se estiver cansado ou não conseguir seguir o passo-a-passo, faça uma pausa, não tente fazer por teimosia.

COMO PODE O PEIXE VIVO
VIVER FORA DA ÁGUA FRIA (BIS)
COMO PODEREI VIVER
COMO PODEREI VIVER
SEM A TUA, SEM A TUA
SEM A TUA COMPANHIA (BIS)

OS PASTORES DESTA ALDEIA
JÁ ME FAZEM ZOMBARIA
OS PASTORES DESTA ALDEIA
JÁ ME FAZEM ZOMBARIA

POR ME VEREM ASSIM CHORANDO
SEM A TUA, SEM A TUA
SEM A TUA COMPANHIA (BIS)







BRINQUEDOS

EU FIZ DE PAPEL DOBRADO
UM BARQUINHO E NAVEGUEI

FIZ UM CHAPÉU DE SOLDADO
E SOLDADINHO – MARCHEI

FIZ AVIÃO, FIZ ESTRELA
EMBARQUEI DENTRO – VOEI

AGORA FIZ UM BRINQUEDO
– O MELHOR QUE JÁ BRINQUEI
GUARDEI NUM PAPEL DOBRADO
O PRIMEIRO NAMORADO
(O SEU NOME, EU INVENTEI...)

BEATRIZ, ELZA. A MENINA DOS OLHOS. BELO HORIZONTE: MIGUILIM, 1985. IN: TREVIZAN, ZIZI. POESIA E ENSINO: ANTOLOGIA COMENTADA. SÃO PAULO: ARTE & CULTURA – UNIP, 1995. P. 81.






CETIM
ZALINA ROLIM

EU TENHO UM GATINHO
CHAMADO CETIM.
É ALEGRE E MANSINHO
E GOSTA DE MIM.

BEM CEDO, NA CAMA,
VAI ELE: "MIAU"!
E TANTO ME CHAMA
QUE ATÉ FICA  MAU

INVENTA BRINQUEDOS
E PULA NO CHÃO
EU FICO COM MEDO,
NÃO TENHO RAZÃO?

MAS ELE É MANSINHO,
FERIR-ME NÃO VAI.
SE EU FOSSE UM RATINHO,
ENTÃO AI, AI, AI.

TEM QUATRO PATINHAS
COM UNHAS ASSIM:
CURVADAS, FININHAS.
SÃO GARRAS, ENFIM.

MAS NUNCA MERECE
CASTIGO, ISSO NÃO.
CETIM ME OBEDECE
DE BOM CORAÇÃO.


ACIDENTE

GATO MALHADO
SUBIU NO TELHADO,

CAIU NA FUMAÇA,
FICOU SUFOCADO.

COITADO
DO GATO MALHADO!
MORREU DEFUMADO!

MARIA DINORAH

CHAPEUZINHO  E  O  LOBO
CHAPEUZINHO  CAMINHA
PARA  A  CASA  DE  SUA  AVÓZINHA
QUANDO  COMEÇA  A  SENTIR
UMA  FORTE  DOR  NO  DENTE  AO  SORRIR

‘TERÁ  SIDO  O  CARAMELO?
OU  SERÁ  O  PIRULITO ?
PENSAVA  CHAPEUZINHO
COMENDO  SEU  CHOCOLATINHO

‘EU  POSSO  LHE  AJUDAR’,
APARECEU  UMA  VOZ  GROSSA  A  FALAR,
E  DESCEU DE  UM  GALHO ,
UM  LOBO  FEROZ 

‘TENHO  AQUI  UMA  ESCOVA  DE  DENTE
E  TAMBÉM  PASTA’ , DISSE  SORRIDENTE
COMO  BOM  DENTISTA
TINHA  TUDO  À  SUA  VISTA

CHAPEUZINHO  OS  PEGOU
E  SEUS  DENTES  ESCOVOU,
E  O  DENTE  QUE  DOÍA
AGORA  ELA  NEM  SENTIA

O  LOBO  E  A  CHAPEUZINHO
SEGUIRAM  JUNTOS  PELO  CAMINHO
E  A  PARTIR  DESSE  DIA
UM  BOM  AMIGO   O  LOBO  SERIA.
( GONZALEZ, LORENA – TRADUZIDO E ADAPTADO POR JANAÍNA SPOLIDORIO )



          CORUJINHA


CORUJINHA, CORUJINHA
QUE PENINHA DE VOCÊ
FICA TODA ENCOLHIDINHA
SEMPRE OLHANDO NÃO SEI QUE
O TEU CANTO DE REPENTE
FAZ A GENTE ESTREMECER
CORUJINHA, POBREZINHA
TODO MUNDO QUE TE VÊ
DIZ ASSIM, AH! COITADINHA
QUE FEINHA QUE É VOCÊ

QUANDO A NOITE VEM CHEGANDO
CHEGA O TEU AMANHECER
E SE O SOL VEM DESPONTANDO
VAIS VOANDO TE ESCONDER
HOJE EM DIA ANDAS VAIDOSA
ORGULHOSA COM QUÊ
TODA NOITE TUA CARINHA
APARECE NA TV
CORUJINHA, CORUJINHA
QUE FEINHA QUE É VOCÊ!




O RATO      
                      RUTH ROCHA
“O RATO
ROEU
A RODA
DO CARRO
DO REI
DA RÚSSIA.
O RATO
MORREU
DE DOR
DE BARRIGA”.




 




O CACHORRINHO
CACHORRO BONITO
DE RABO CURTINHO
DE PELO SEDOSO
DE LÍNGUA MOLHADA

QUE LAMBE MEU DEDO
QUE CORRE NA RUA
QUE ROLA NA GRAMA
QUE PULA NA POÇA
E SAI TODO SUJO.

CACHORRO BONITO
DE RABO ABANANDO
VOCÊ QUER SER MEU?

REU, FUGIU
PI
BANDEIRA, PEDRO. POR ENQUANTO EU SOU PEQUENO. SÃO PAULO, MODERNA, 1994.




PINTINHO  FUJÃO

PINTINHO, PINTINHO
CORSOU NA LAMA
ESCORREGOU, CAIU
DONA GALINHA
TODA ASSUSTADA
PEGOU O PINTINHO
E DEU UMAS PALMADAS!

 PEIXE
O PEIXINHO PRATEADO
NO AQUÁRIO SEMPRE VEJO!
BEM ME FITA, O ASSANHADO,
SÓ QUERENDO ME DAR BEIJOS.
SUA BOCA UM “OI” MIÚDO
VAI DIZENDO E ISSO É BOM,
SÓ O PEIXE, NESTE MUNDO,
FALA “OI”, SEM SOLTAR SOM.


MARIA DA GRAÇA ALMEIDA
A MATEMÁTICA NO CANTO DE JOGOS
Cabo de guerra
Materiais:
 1 pedaço de madeira medindo 40 x 22 cm para o tabuleiro
(ou outro material para suporte, como papelão grosso) 
 1 caixa de suco ou leite (vazia) para o dado 
 Tinta guache 
 Tesoura 
 Cola para tecido 
 Retalhos de tecido branco para forrar o dado 
 Pincel 
 Sucata para o peão (tampas de xampu, de garrafa etc.)
Preparando o jogo 
1. Peça às crianças que pintem o tabuleiro de uma só cor com guache e pintem um círculo no centro. De cada lado do tabuleiro, elas devam pintar mais seis círculos (as "casas" do jogo).
2. Construa o dado com as crianças a partir de caixas de suco vazias e limpas. Corte o fundo e a parte superior da caixa com 7 cm cada. Encaixe uma parte na outra.
3. Encape o dado com retalhos de tecido, cole e pinte o dado com guache.
4. Decore o peão como desejar, construído a partir de sucata.
As regras do jogo 
1. Jogam dois alunos em cada tabuleiro, com um dado e um peão.
2. O peão é colocado no círculo central, e os participantes ficam um em cada ponta do tabuleiro. O objetivo é trazer o peão até a casa mais próxima do jogador.
3. Um aluno joga o dado e movimenta o peão o número de casas correspondentes na sua direção.
4. O outro aluno joga o aluno e movimento o peão na sua direção, ou seja, o peão "vai e volta" no tabuleiro de acordo com os números tirados no dado, até chegar à casa mais próxima de um dos dois jogadores.
5. Se um aluno tirar "6" no dado na primeira vez, ele é considerado "sortudo", pois ganhou na primeira, e começa-se novo jogo.
Jogo da velha:


Materiais:

•2 caixas de fósforos grandes (será a base do jogo e também servirá para guardar as peças);
•Eva(para o tabuleiro);

•Tampinhas de garrafa Pet (colocar os adesivos);
•Adesivos ou desenhos de papel fantasia.

Brincadeiras dirigidas: cordas, pneus e bambolês

          Observando o comportamento das crianças no cotidiano, percebe-se que elas, na era da informatização, passam cada dia mais tempo na frente de um computador, de uma televisão ou se entretendo com brinquedos eletrônicos. Fazendo com que brinquem menos e socializem-se menos com outras crianças. Com isso a criança perdeu o hábito saudável de brincar outras brincadeiras, até mesmo de ver o mundo além da janela.
            Os jogos e as brincadeiras  dirigidas devem fazem parte do dia-a-dia das aulas na Educação Infantil, e são instrumentos muito importantes para que as crianças se relacionem umas com as outras e possam expressar diferentes sentimentos podendo, gradativamente, aceitar a existência do outro.
            Essas atividades visam melhorar a sociabilização entre as crianças, fazendo com que vivenciem situações de colaboração, trabalho em equipe e respeito.
            Além de proporcionarem momentos lúdicos e prazerosos, essas atividades ajudam a construir o conhecimento, fazendo com que a criança classifique, ordene, estruture, resolva pequenos problemas e inclusive sinta-se motivada a ultrapassar seus próprios limites.
Atividades com corda
Cabo de Guerra
Dois grupos de crianças, cada grupo segura uma extremidade da corda. Ao sinal puxa a corda cada um para o seu lado, tentando deslocar o outro grupo por cima de uma marca feita no chão ou por pelo menos 1 metro, consagrando-se campeão.

Chicote queimado
Crianças em círculo, uma no meio segurando uma corda por uma das pontas, essa deve girar a corda junto ao solo próximo aos pés dos colegas que devem pulá-la. Quem tocar na corda duas vezes  vai saindo e voltará para a brincadeira quando for trocado o aluno que está no meio.

Saltando sobre a Cobrinha
Com uma corda grande, o professor irá produzir movimentos diversos na corda para que os alunos saltem sobre ela de um lado para o outro tentando evitar de tocá-la.
Quem tocar a corda é "picado pela cobra" e fica uma rodada sem pular.


Aumenta-Aumenta ou Alturinha
Duas pessoas seguram uma corda, crianças em fila passam pulando uma a uma sobre a corda, a cada passagem de todos, vai se aos poucos aumentando a altura. Quem tocar na corda na passagem vai saindo, até restar somente um.

Abaixa-Abaixa ou Cuidado com o Fio
Mantendo-se uma corda esticada a uma altura de 1,20 metros, todas as crianças terão de passar por baixo evitando tocá-la para não "levarem choque".
Feita a passagem de toda a turma a altura do "fio", tornar-se-á menor, quem tocar no fio levará um "choque" e sai da brincadeira, até restar somente um.

Atividades com bambolês

Vale na cintura, no braço, na perna ou apenas girá-lo no chão, como uma roda. Todas as formas vão auxiliar no desenvolvimento do equilíbrio e da coordenação motora. Uma brincadeira do tempo da vovó que faz sucesso entre as crianças até hoje.
·                     Estender arcos no chão e andar ou saltar, colocando um pé em cada um;
·                     Rolar um arco e conduzi-lo em várias direções;
·                     Bambolear um arco no corpo, nomeando em voz alta, a parte que ele está tocando;
·                     Toca do Coelho: Dispor bambolês no pátio da escola de forma que fiquem duas crianças em cada um e que sobre uma fora do bambolê. Ao sinal do professor, as crianças deverão trocar de toca, entrando duas em cada um. Sempre sobrará uma criança fora da toca;
·                      Basquete no qual a cesta é o bambolê. Uma criança segura o bambolê para cima;
·                     - argola humana - as crianças são os pinos e o bambolê a argola;
·                     - pular bambolê - usar o bambolê com se fosse a corda.

Atividades com pneus
Pneus velhos, depois de limpos, podem proporcionar excelentes brincadeiras.
Inventando brincadeiras
Como brincar: colocar um ou mais pneus no local onde as crianças vão brincar e deixar que elas inventem brincadeiras com eles.
Pneu colocado como túnel
Como brincar: o adulto segura o pneu em pé, ou seja, na vertical e as crianças podem:
• passar engatinhando por dentro do pneu;
• passar engatinhando de costas por dentro do pneu;
• atirar uma bola no meio do pneu;
• atirar a bola uma para outra pelo meio do pneu.
Pneu deitado no chão
Como brincar: com as crianças organizadas em fila:
• cada uma fica em pé sobre o pneu, pula no meio dele e depois pula para fora. As pequenas ou as que precisarem dão a mão ao adulto para brincar;

·                     Pular dentro e fora;
·                     Se equilibrar andando sobre a parte de sua lateral;
·                     Rolar o pneu de um determinado lugar até outro sem deixá-lo cair;
·                     Empilhar;

·                     Pular pneu: colocá-los um na frente do outro, deitados no chão, o aluno deverá pular até o final.