Quem sou eu

Minha foto
Mineira,professora graduada em Normal Superior e Letras,posgraduada em psicopedagogia e supervisão escolar. Atualmente estou atuando como supervisora pedagógica , do maternal 3 ao 5º ano. Sejam bem vindos(as)!!!

domingo, 19 de abril de 2015

Brumadinho-75 anos de história

O nome Brumadinho deve-se ao fato do local estar próximo a antiga vila de Brumado Velho, que por sua vez, teria sido assim denominada pelos bandeirantes por causa das brumas comuns em toda a região montanhosa em que se situa o município, especialmente no período da manhã. A cidade tem o quarto maior município em extensão territorial do estado, com uma área de 642,03 km². Brumadinho conta com uma população de 34.391 habitantes, segundo pesquisa realizada pelo IBGE em 2010.

   Brumadinho, 75 anos, tornou-se uma das cidades brasileiras mais citadas na imprensa nacional e internacional. Para além de abrigar o Inhotim, o que lhe tem rendido a notoriedade dos grandes destinos turísticos do país, a cidade guarda um rico patrimônio cultural e natural.
A população de cerca de 35 mil habitantes é formada por pessoas generosas e acolhedoras. As tradições religiosas e culturais das comunidades quilombolas da região são vivenciadas com o vigor de quem mantém no cotidiano o orgulho das raízes africanas. A vocação musical da cidade ganha vários ritmos nos instrumentos de suas bandas centenárias e nas vozes dos diversos corais que reúnem crianças, jovens e adultos.
A natureza também foi bastante generosa com a cidade. Dois importantes biomas do mundo, a mata atlântica e o cerrado, se encontram no mar de montanhas do território de Brumadinho. Durante boa parte do ano, as brumas encobrem as montanhas e a cidade e os dias se iniciam com um ar leve e fresco.



quarta-feira, 15 de abril de 2015

Projeto Água -2015

                              Projeto Água -2015

A partir do projeto institucional Água: Um Pingo de Consciência, montamos o projeto para nossa escola.

Projeto Água: Não deixe a última gota cair!


TURMAS: Maternal 3 ao 5º ano                 Turno: Tarde

JUSTIFICATIVA: 

A equipe da Escola Municipal Leon Renault, acredita que valores como respeitar o que a natureza nos fornece, devem ser repassados para as crianças. Sabemos que nos tempos atuais é imprescindível que a educação de forma interdisciplinar aborde o meio ambiente para que as crianças conheçam e valorizem as leis da natureza.
O projeto “Água: Não deixe a última gota cair” vem sendo desenvolvido, visando à conscientização dos alunos, quanto ao uso da água.

OBJETIVOS:
Ø  Valorizar a água como um recurso precioso
Ø  Utilizar a água com consciência, pensando no próximo.
Ø  Conhecer os fenômenos da natureza referentes à água (rios, chuvas, etc.).
Ø  Conscientizar- se do papel do homem na preservação dos rios, lagos e mares.
Ø  Perceber a dependência dos seres vivos em relação ao meio ambiente, em especial a água.
Ø Reconhecer a ação do homem na transformação do meio ambiente, principalmente no que diz respeito à poluição e ao desperdício de água.
Desenvolvimento.

Linguagem oral e escrita:
Falar diariamente sobre a importância da água:  
Leitura de textos, histórias, parlendas, adivinhas que falem sobre o assunto
Produção coletiva de pequenos textos
Escrita espontânea
Cruzadinhas, caça-palavras
Atividades com alfabeto móvel
Palestras sobre meio ambiente
Entrevista com um profissional da rede de tratamento de água
Atividades diversificadas  envolvendo a escrita de palavras significativas sobre o assunto estudado

Matemática

Estatística (contas de água) (e porcentagem de água nos alimentos e no corpo)
Noções de massa (pesado/leve), volume (cheio/vazio)
Situações-problema envolvendo a água
Jogo com dado/trilha
Seriação e classificação.

Natureza e sociedade:
  Observação do ciclo da água
• Conversa sobre o desperdício da água nas diversas situações cotidianas
• Experiências diversas com a água nos estados: sólido/líquido/gasoso
• Passeio ao redor da escola observando a ação da chuva no bairro e a ocorrência de esgoto a céu aberto
Experiência do pé de feijão
Vídeos que abordam o tema
Pesquisa de figuras que mostrem as diferenças entre a água limpa e a água poluída 
Onde encontramos água? Água no meio ambiente
Água no nosso corpo –
Água das frutas e outros alimentos

Artes
Desenho livre e de observação
Recorte e colagem
Dobraduras
Releitura de obras de arte
Modelagem com areia e argila
Técnicas de pintura
Maquetes
Jogo da memória

Música e movimento:

Atividades diversas , músicas e cantigas relacionadas ao tema
Ginástica historiada
Circuito da água
           Teatros e dramatizações
Avaliação: Avaliar a participação dos alunos no decorrer das atividades propostas, observar as suas ações e atitudes , avaliar as produções orais e escritas e expor os trabalhos realizados.

Culminância: Feira Cultural

Leitura e interpretação de textos





O passo na escada
Depois... muito  depois... o ruído de um passo. Um passo forte, límpido, vivo, familiar. Um passo que vem vindo e que sobe depressa os degraus de uma escada.
Um passo que ouço extasiada e espero numa ânsia sem palavras, reconhecendo entre todos os outros o seu pisar, ágil e diferente; que a tudo, como a mim, enche de segurança.
Sei que para chegar não encontra embaraços; pula os degraus de dois em dois, correndo. Sinto-o ao longe, ouço vir, quero-lhe bem. Subindo, escuto-o definir-se, aproximar-se, entrar...
É um passo que me encontra, me conforta e me atrai. É de súbito, o passo toma corpo, tornam-se dois braços que me arrebatam do chão, faz-se um rosto de homem, sorridente, belo, moço, um rosto de carinho e de alegria que eu não canso de ver e rever todo o dia, um rosto que se inclina sobre a minha pequenez com  adoração. Um rosto que resume todas as minhas ideiazinhas de força e de confiança, o símbolo de toda proteção: PAPAI!
Maria Eugênia Celso, Poesia para a infância.

Interpretação de Texto
1-    Os fatos acontecem:  1ac
(     ) Ao ar livre           (     ) Dentro de uma casa         (      ) No quintal
______________________________________________________________________________
                                          
2-    Onde estava a pessoa que esperava o pai?  1ac                                            
(     ) Ao pé da escada     (      ) No meio da escada          (      ) Na parte superior da casa
___________________________________________________________________________
3-     Quais são os personagens do texto?    2ac                                                                                                                            

A)   _____________________________________ B)____________________________________


4-    De acordo com a terceira linha do texto, de que maneira o pai sobe os degraus da escada?___________________________________2ac

5-     Cite algumas qualidades atribuídas ao passo do pai:   2ac       
__________________________________________________________________________________
6-    A expressão “O passo toma corpo” significa que:   1ac                     

(       ) O pai levanta o corpo da filha do chão.

(      ) Antes ela ouvia os passos e imaginava a figura do pai, mas agora já vê o pai em pessoa.
_______________________________________________________________________________
7-    Personagens: Assinale uma característica evidente da filha no texto: 1ac


________________________________________________________________________________________________

Leia atentamente o texto abaixo:

Texto:  Amor de Menino
Tudo cura o tempo, tudo faz esquecer, tudo gasta, tudo dirige tudo acaba. Atreve-se o tempo a coluna de mármore, quanto mais a corações de cera! São afeições como as vidas, que não há mais certo sinal de haverem de durar pouco, que terem durado muito. São como as linhas, que partem do centro para circunferência, que quanto mais continuadas, tanto menos unidas. Por isso os antigos sabiamente pintaram o amor menino: porque não há amor tão robusto que chegue a ser velho. De todos os instrumentos com que o armou a natureza, o desarme o tempo. Afrouxa-lhe o arco, com que já não atira; embota-lhe as setas, com que já não fere; abre-lhe os olhos, com que vê que não via; e faz-lhe crescer as asas com que voa e foge. A razão natural de toda essa diferença é porque o tempo tira a novidade às coisas, descobre-lhes os defeitos, enfastia-lhe o gosto, e basta que sejam usadas para não serem as mesmas. Se gasta o ferro com o uso, quanto mais o amor? O mesmo amar é causa de não amar e ter amado muito de amar a menos.


Vieira, Padre Antônio.Sermões. São Paulo.1957

Vocabulário:
Robusto: sadio, saudável.         Enfastia: senti-lo Embota: enfraquecer.
Transitório: passageiro.            Depreender: deduzir

Assinale com x a resposta correta nas questões abaixo:            
1-      O tema central do texto demonstra um valor: 1ac
A) (     )  material e concreto   C) (     )  Espiritual e de pouco significado para a vida humana.
B) (     )  material e bom           D)(     )  Espiritual de grande significado para a vida humana.

2- Este texto acentua o problema: 1ac
A)     Do tempo  B)   da riqueza   C)   Da pobreza   D)  Da vida.
3-Podemos entender do texto: 1ac

A) (     )  Os valores humanos sobrevivem ao tempo.
B) (     )  Tudo na vida não tem valor.
C) (     )  Espírito e valores são iguais.
D) (     )  Os sentimentos humanos são transitórios. 




Gramática
4-Com relação a oração abaixo,assinale a alternativa correta:

A oração:Espíritos e valores, são iguais.É 1ac

A)      (     )  Sujeito simples.
B)      (     )  Sujeito Composto.
C)      (     )  Sujeito Indeterminado.
D)     (     )  Sujeito Inexistente ou oração sem sujeito.

5- Quanto a predicação do verbo, responda: A oração O menino é feliz pertence a qual predicado? 1ac

A)     (     )  Predicado Verbal.
B)      (     )  Predicado Nominal.
________________________________________________________________________________________________

De acordo com os estudos Gramaticais realizados em sala de  aula, RESPONDA as atividades propostas: 5ac

IDENTIFIQUE os sujeitos das orações, seguindo os códigos:

(A) Sujeito Simples; (B) Sujeito Composto; (C) Sujeito Indeterminado; (D) Sujeito Inexistente; (E) Sujeito Oculto.

1. (    ) Há muitas pessoas na sala.
2. (    ) Assaltaram o Banco do Brasil.
3. (    ) Brincamos ontem o dia inteiro de bola.
4. (    ) Juliana brincou  de boneca.
5. (    ) Juliana e Ana brincaram de Bonecas.
___________________________________________________________________________________________________
OBSERVE os termos em destaque e coloque P para predicado S para sujeito: 5ac

1. (    ) Meu pai plantou uma árvore;
2. (    ) O medo e a violência espalharam pela cidade;
3. (    ) A estrada estava cheia de buracos;
4. (    ) Aconteceram surpresas agradáveis;
5. (    ) Ele viajará amanhã.
________________________________________________________________________________________________

LEIA os verbos destacados abaixo e diga se eles são INTRANSITIVOS ou TRANSITIVOS: 5ac

1. (                      ) As crianças precisam de carinho;
2. (                      ) A nascente do rio secou;
3. (                      ) A menina sorria para sua mãe;
4. (                      ) Os garotos vendiam sorvete na praia.
5. (                      ) A árvore caiu.


O menino e o arco-íris

      Era uma vez um menino curioso e entediado. Começou assustando-se com as cadeiras, as mesas e os demais objetos domésticos. Apalpava-os, mordia-os e jogava-os no chão: esperava certamente uma resposta que os objetos não lhe davam. Descobriu alguns objetos mais interessantes que os sapatos: os copos – estes, quando atirados ao chão, quebravam-se. Já era alguma coisa, pelo menos não permaneciam os mesmos depois da ação. Mas logo o menino (que era profundamente entediado) cansou-se dos copos: no fim de tudo era vidro e só vidro.
      Mais tarde pôde passar para o quintal e descobriu as galinhas e as plantas. Já eram mais interessantes, sobretudo as galinhas, que falavam uma língua incompreensível e bicavam a terra. Conheceu o peru, a galinha-d´Angola e o pavão. Mas logo se acostumou a todos eles, e continuou entediado como sempre.
Não pensava, não indagava com palavras, mas explorava sem cessar a realidade.
      Quando pôde sair à rua, teve novas esperanças: um dia escapou e percorreu o maior espaço possível, ruas, praças, largos onde meninos jogavam futebol, viu igrejas, automóveis e um trator que modificava um terreno. Perdeu-se. Fugiu outra vez para ver o trator trabalhando. Mas eis que o trabalho do trator deu na banalidade: canteiros para flores convencionais, um coreto etc. E o menino cansou-se da rua, voltou para o seu quintal.
      O tédio levou o menino aos jogos de azar, aos banhos de mar e às viagens para a outra margem do rio. A margem de lá era igual à de cá. O menino cresceu e, no amor como no cinema, não encontrou o que procurava. Um dia, passando por um córrego, viu que as águas eram coloridas. Desceu pela margem, examinou: eram coloridas!
      Desde então, todos os dias dava um jeito de ir ver as cores do córrego. Mas quando alguém lhe disse que o colorido das águas provinha de uma lavanderia próxima, começou a gritar que não, que as águas vinham do arco-íris. Foi recolhido ao manicômio.
E daí?
(GULLAR, Ferreira. O menino e o arco-íris. São Paulo: Ática, 2001. p. 5)


INTERPRETANDO O TEXTO

Após ler atentamente o texto,

1.Identifique: 3ac

Título:___________________________________________________________________________
Autor:___________________________________________________________________________
Obra da qual faz parte:______________________________________________________________

2.“Mas logo se acostumou a todos eles”. O termo em destaque refere-se no texto a: 1ac

(A) animais no quintal.                          (B) cadeiras e mesas. 
(C) sapatos e copos.                            (D) jogos de azar.

3. Pode-se concluir que o tema do texto é:1ac

(A) a curiosidade.                                (B) a insatisfação.         
(C) a natureza.                                   (D) a saudade.

4. De acordo com o texto, o menino procurava, desde criança, por: 1ac

(A) alguma coisa surpreendente.            (B) galinhas e plantas interessantes.
(C) um arco-íris.                                   (D) banhos de mar.

5. “E daí?” A frase final do texto demonstra que a opinião do narrador sobre o destino do menino é de:
1ac
(A) pena e desespero.                                 (B) simpatia e aprovação.
(C) indiferença e conformismo.                     (D) esperança e simpatia.

6. “Desceu pela margem, examinou: eram coloridas!”
No trecho, os sinais de pontuação empregados assinalam: 1ac

(A) o tédio do menino.                                (B) a surpresa do menino.
(C) a dúvida do narrador.                            (D) o comentário do narrador.

7. Esse texto é: 1ac
(A) uma crônica      (B) uma notícia  (C)  informativo       (D) fábula


8. Como você descreveria o menino? 3ac
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

9. Por que o menino sempre abandonava as coisas que encontrava? 2ac
_____________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

10. Comente sobre o desfecho do texto, dando sua opinião.3ac
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


A disciplina do amor
          Foi na França, durante a segunda grande guerra: um jovem tinha um cachorro que todos os dias, pontualmente, ia esperá-lo voltar do trabalho. Postava-se na esquina, um pouco antes das seis da tarde. Assim que via o dono, ia correndo ao seu encontro e na maior alegria, acompanhava-o com seu passinho saltitante de volta à casa. A vila inteira já conhecia o cachorro e as pessoas que passavam faziam-lhe festinhas e ele correspondia, chegava a correr todo animado atrás dos mais íntimos. Para logo voltar atento ao seu posto e ali ficar sentado até o momento em que seu dono apontava lá longe. Mas eu avisei que o tempo era de guerra, o jovem foi convocado. Pensa que o cachorro deixou de esperá-lo? Continuou a ir diariamente até a esquina, fixo, o olhar ansioso naquele único ponto, a orelha em pé, atenta ao menor ruído que pudesse indicar a presença do dono bem-amado. Assim que anoitecia, ele voltava para casa e levava sua vida normal de cachorro até chegar o dia seguinte.
         Então, disciplinadamente, como se tivesse um relógio preso à pata, voltava ao seu posto de espera. O jovem morreu num bombardeio, mas no pequeno coração do cachorro não morreu a esperança. Quiseram prendê-lo, distraí-lo. Tudo em vão. Quando ia chegando àquela hora ele disparava para o compromisso assumido, todos os dias. Todos os dias. Com o passar dos anos (a memória dos homens!) as pessoas foram se esquecendo do jovem soldado que não voltou. Casou-se a noiva com um primo. Os familiares voltaram-se para outros familiares. Os amigos, para outros amigos. Só o cachorro já velhíssimo (era jovem quando o jovem partiu) continuou a esperá-lo na esquina. As pessoas estranhavam, mas quem esse cachorro está esperando... Uma tarde (era inverno) ele lá ficou, o focinho voltado para aquele direção.
  
                      ( Lygia Fagundes Telles. A disciplina do amor. Nova Fronteira, 1989 )
ESTUDO DO TEXTO
01) O cachorro esperava o seu dono diariamente, na esquina, num ritual disciplinado. Qual era o "ritual" do cachorro ao esperar o seu dono?             ___________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________
02) Qual era a relação do cachorro com as outras pessoas da vila? 2ac
_________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
03) Que sentimento alimentava as atitudes do cachorro em relação ao seu dono? 1ac
    (  ) tristeza                                                (   ) esperança                                                   (  ) ansiedade
04) O jovem morreu em bombardeio e as pessoas ficaram preocupadas com o       cachorro. 2ac
  
  a) O que elas fizeram ao perceber que o cão continuava esperando seu dono? __________________
 __________________________________________________________________________________

 b) Qual foi a reação do cachorro em relação às atitudes das pessoas?

 

  05) Leia com atenção um trecho do texto.
O jovem morreu num bombardeio. Com o passar dos anos...”

 
                                                                                                              

Caracterize o comportamento: (2ac.)
a) Das pessoas que conheceram o jovem soldado.
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
     b) Do cachorro. _______________________________________________________________
     _________________________________________________________________________
6) “... uma tarde (era inverno) ele lá ficou, o focinho voltado para aquela direção.”
       O que este trecho do texto nos indica? 2ac
 _____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
 ____________________________________________________________________________

11) O texto tem como título "A disciplina do amor". Explique o significado desta expressão. 1ac


   
12) O que você percebe, ao ler o texto, que aconteceu com o cachorro, no final desta história? Grife no texto a parte que comprova este fato. 2ac