Quem sou eu

Minha foto
Brumadinho, MG, Brazil
Ivani Ferreira é professora e blogueira . Possui graduação em Letras pela Faculdade Asa de Brumadinho (2006), Normal Superior pela Universidade Federal de Montes Claros(2005), especialização em Psicopedagogia pela Universidade Federal Castelo Branco (2007), Supervisão Pedagógica pela FINON (2008). Professora efetiva na rede Municipal de Brumadinho desde 2005, porém, atua na rede municipal com turmas da Educação Infantil , Ensino Fundamental 1 e 2 , desde o ano de 2002. Trabalhou como supervisora pedagógica na Escola Municipal Leon Renault- Brumadinho/MG (2013- 2016). Atualmente trabalha como professora da Educação Infantil na EMEI Nair das Graças Prado em Brumadinho/MG. Sejam bem vindos(as)!!!

terça-feira, 24 de maio de 2011

Plano de aula Tema:Dengue


Tema: Dengue   (sugestões de atividades que podem ser desenvolvidas)
Objetivo geral 
Desenvolver a linguagem oral, a leitura e a escrita dentro do contexto atual.

Objetivos específicos:

  • Pesquisar sobre o mosquito transmissor;
  • Conhecer as causas e consequências da dengue
  • Relacionar a dengue com a falta de higiene ambiental;
  • Despertar a consciência da responsabilidade de cada um no processo de prevenção e combate a dengue;
  • Promover a mudança de comportamentos da comunidade, levando-a a tomar atitudes concretas no combate a doença.

1º Momento: Produção oral
Verificar os conhecimentos prévios dos alunos sobre o tema em questão, através de
 conversa informal, com todos conversas informais “na rodinha”. 
Utilizando um cartaz  ou vídeo com o mosquito da dengue, lançar questões:

Qual foi o bichinho que acabamos de ver?
  • Ele transmite uma doença .Alguém sabe o nome dela?
  •  Quem já ouviu falar? Quando? Onde? Quem falou?
Permitir que os alunos se expressem contando suas experiências, relatando seus conhecimentos a respeito.
Aumentar as perguntas de acordo com a conversa, interesses e faixa-etária dos alunos.
Listar num cartaz os conhecimentos prévios.
  • Verificar o que os alunos tem curiosidade de saber?
Listar, também num cartaz, as dúvidas provisórias dos alunos e combinar com eles que juntos descobrirão todas as respostas.


  • Os agentes de saúde falarão sobre como é transmitida a dengue.
  • Dramatização (como se prevenir da dengue)
  •  Brincadeiras (cuidar de uma boneca que está “dengosa” – quais são os sintomas e como tratar)
   
2º Momento: Linguagem oral e escrita:
  • Rodas de conversas utilizando textos informativos em jornais e revistas.
  • Produção coletiva - os alunos falam a respeito do tema, criam histórias, poesias ou textos informativos e o(a) professor(a) organiza as falas sendo o escriba;
  • Estudo da letra D – identificar através de pesquisas em jornais e revistas velhas, falar outras palavras que iniciam com D, nomes de alunos que iniciam com D, escrita espontânea da letra, identificar e escrever em maiúscula e minúscula.
  • Listar palavras que iniciam com a letra D.
3º Momento:   Natureza e Sociedade:
  • Convidar os agentes de saúde para falar sobre o tema/ como é transmitida a dengue.
  • Elaborar cartazes para conscientizar a população/ colegas e espalhar pela escola e comunidade.
  • Representar através de desenhos e brincadeiras noções de prevenção a dengue;
  • Ampliar noções de higiene e saúde a partir do estudo sobre sintomas e efeitos da dengue;
4º Momento:Artes plásticas:
  • Criar cartazes e folders sobre o tema através de desenhos e técnicas de recorte e colagem;
  • Criar dobraduras e máscaras do mosquito,
  • Desenhos, pinturas e modelagens relacionados ao tema.
5º Momento:Música e Movimento:
  • Cantar, dançar e dramatizar com base no tema em questão;
  • Desafiar os alunos a serem multiplicadores dos conhecimentos ajudando a conscientizar outros alunos, sua família e os moradores da comunidade, além de prevenir cuidando das plantas e examinando os terrenos.
6º Momento:Matemática:
  • Observar gráficos e tabelas/e ou elaborar gráfico com os casos de dengue da escola.
  • Contar letras da palavra DENGUE;
  • Seriação, classificação e contagem/utilizando mosquitos (figuras previamente preparadas pelo professor);
  • Representar a quantidade de mosquitos ditadas pelo professor através de desenhos;
  • Identificar mosquitos grandes e pequenos, na frente de, atrás de, no lado esquerdo e direito, em cima e embaixo (de forma lúdica com base no mosquito previamente preparado pelo professor para realização da atividade).
Avaliação: avaliar a participação,os trabalhos realizados , apresentação de teatro, dança ,paródia...

Parabéns pra mamãe!!!

domingo, 22 de maio de 2011

Plano de Aula sobre Musicalização Infantil/Maternal 2

 


EMEI CONCEIÇÃO DE ITAGUÁ/ 2011
PLANEJAMENTO SEMANAL  TURNO: TARDE
PROFESSORA: IVANI FERREIRA Data: 15 à 20/05

Tema: Musicalização Infantil

Justificativa: Não dá pra imaginar um mundo sem sons. Se pararmos para analisar, quase todos os sons que ouvimos durante o nosso dia, são como instrumentos musicais tocando alguma melodia: os pingos de uma torneira, os trovões, a chuva, os pássaros e as cigarras cantando lá fora, o arrastar de um chinelo ao andar, as ondas do mar explodindo na praia, galo cantando no galinheiro, boi berrando no pasto e tantos outros.
      Uma bela forma de ensinar músicas para as crianças a partir de elementos e situações já vivenciadas por elas, podemos colocá-las em contato com todos os tipos de sons e mostrar a elas como o mundo seria esquisito se não tivesse o despertador e o telefone tocando, a música para cantar e até a fala que não teria razão de ser. Fazer as crianças imitar com a boca, os sons dos objetos e do que estão ao seu redor, faz com que ela tenha maior observação sobre o mundo em que vive e a desenvolver desde cedo a sensibilidade para a música.
Este é o princípio de tudo.
Objetivos:
    O principal objetivo da musicalização infantil não é o ensino da teoria musical, nem a formação de um instrumentista.
     Musicalizar é....
Ø  Sensibilizar os alunos pelo gosto musical;
Ø  Criar condições para que o aluno possa refletir e  entender a música como fonte de prazer e conhecimento.
Ø  Estimular a criatividade, a percepção, a coordenação e o convívio social do aluno.
Ø  Desenvolver a discriminação auditiva,
Ø  Aproveitar as variadas formas dos materiais, transformando-os em instrumentos musicais.
Conteúdos: Interdisciplinar o assunto em várias áreas:
ü Música/linguagem oral
ü Artes/movimento/expressão corporal

       Sequência didática e possíveis intervenções:

2ª feira: Percepção auditiva(sons/ruídos).

Escurecer a sala apagar as luzes e fechar as cortinas.
Deitar no chão(utilizando colchonetes ou tapete) e ouvir diferentes sons/ruídos(Cd para relaxamento).

ü Barulho de água/cachoeira
ü Canto dos pássaros
ü Assovios....

   Após essa atividade, conversar na rodinha a sobre os diversos sons que podemos ouvir no ambiente.

ü Pessoas conversando
ü Barulhinhos de vasilhas na cozinha
ü Galo cantando no quintal do vizinho
ü Cachorro latindo
ü Telefone tocando.
ü Criança gritando....

O ambiente possui vários tipos de ruídos, alguns são agradáveis e outros desagradáveis ao nosso ouvido.
Brincadeiras de roda. Brincar de corre cutia.


3ª Feira:  Ler o livro “A Banda dos Filhotes”.





ü Ouvir  a história e os sons dos instrumentos musicais, no livro.
ü Observar o cenário.
·        Ursinho tocando tambor
·        Guaxinim tocando flauta
·        Gatinho tocando piano/teclado
·        Cachorrinho tocando trompete
·        Cavalinho, cachorrinho e gatinho tocando triângulo.
·        Hipopótamo tocando a tuba.
  
   Pedir par fechar os olhinho e identificar os sons...tambor, flauta, piano...
Brincar de bandinha com alguns  dos instrumentos citados na história.

Brincadeiras de roda. Cantar onde está a margarida.

4ª Feira: Conhecendo o teclado

 Cantar:Os instrumentos musicais.
   (ritmo de ciranda cirandinha)
São tantos e diferentes
Os instrumentos musicais.
Cada um toca o que sente
Mas são todos especiais.
RefrãoTum, tum, tum faz o tambor
Dó, Ré, Mi o xilofone
Plim, plim, plim toca o piano    
Pó, pó, pó grita o trombone.  (Bis)  
Todos juntos, é uma festa
Sem nenhum desafinar
Cada nota sempre certa
Ao compasso sem parar.
A flauta chora baixinho
Ri contente o trompete
Brinca feliz a viola
Cantarola o clarinete.
Cantar várias vezes,junto aos alunos.

Observação:A música faz parte da vida da criança diariamente, então nós vamos observar e se possível, filmar as manifestações musicais naturais dos alunos.(cantando  pintinho amarelinho,atirei o pau no gato, brincando de roda,serra serra serrador...)
5ª Feira: Foi na loja do mestre André.

    "Foi na loja do mestre André
Que eu comprei minha sanfona.
Fon-fon-fon minha sanfona!
Fon-fon-fon minha sanfona!
Ai olé!
Ai olé!
Foi na loja do mestre André...

Foi na loja do mestre André
Que eu comprei meu violão.
Blem-blem-blem meu violão!
Blem-blem-blem meu violão!
Ai olé!
Ai olé!
Foi na loja do mestre André...

Foi na loja do mestre André
Que eu comprei o meu piano.
Plim-plim-plim o meu piano!
Plim-plim-plim o meu piano!
Ai olé!
Ai olé!

Foi na loja do mestre André..."
Que eu comprei meu tamborzinho
Tum...tum...tum meu tamborzinho
Tum...tum...t
um meu tamborzinho
Ai olé!
Ai olé!

Cantar fazendo gestos.

Brincadeiras de roda. Cantar fui na Bahia buscar meu chapéu.

6ª Feira: auditório.

Comemoração “abertura Oficial do projeto”

“Cantando a gente brinca
Brincando a gente aprende”
ü Apresentação dos instrumentos musicais realizada pela professora Cláudia.
ü Apresentação  musical realizada pelos alunos do berçário,maternal 1,2 e 3.

Atividade Cênico Musical.

sábado, 21 de maio de 2011

Os Transtornos de Personalidade.



Os Transtornos de Personalidade, também referidos como Perturbações da Personalidade, formam uma classe de transtorno mental que se caracteriza por padrões de interação interpessoais tão desviantes da norma, que o desempenho do indivíduo tanto na área profissional como em sua vida privada pode ficar comprometido. Na maior parte das vezes os sintomas são vivenciados pelo indivíduo como "normais" (eu-sintônico), de forma que a diagnose somente pode ser estabelecida a partir de uma perspectiva exterior.
 A Personalidade é definida pela totalidade dos traços emocionais e de comportamento de um indivíduo (caráter). Pode-se dizer que é o "jeitão" de ser da pessoa, o modo de sentir as emoções ou o "jeitão" de agir.
Um transtorno de personalidade aparece quando esses traços são muito inflexíveis e mal-ajustados, ou seja, prejudicam a adaptação do indivíduo às situações que enfrenta, causando a ele próprio, ou mais comumente aos que lhe estão próximos, sofrimento e incomodação. Geralmente esses indivíduos são pouco motivados para tratamento, uma vez que os traços de caráter pouco geram sofrimento para si mesmos, mas perturbam suas relações com outras pessoas, fazendo com que amigos e familiares aconselhem o tratamento. Geralmente aparecem no início da idade adulta e são cronificantes (permanecem pela vida toda) se não tratados.
As causas destes transtornos geralmente são múltiplas, mas relacionadas com as vivências infantis e as da adolescência do indivíduo.
O tratamento desses transtornos é bastante difícil e igualmente demorado, pois em se tratando de mudanças de caráter, o indivíduo terá de mudar o seu próprio "jeito de ser" para que o tratamento seja efetivo.
Existem muitos tipos desses transtornos, como se vê a seguir:
 

Transtorno de Personalidade Paranóide:
Indivíduos desconfiados, que se sentem enganados pelos outros, com dúvidas a respeito da lealdade dos outros, interpretando ações ou observações dos outros como ameaçadoras. São rancorosos e percebem ataques a seu caráter ou reputação, muitas vezes ciumentos e com desconfianças infundadas sobre a fidelidade dos seus parceiros e amigos (se for amigo de seu inimigo é seu inimigo também).
Aspectos essenciais
  • Excessiva sensibilidade em ser desprezado.
  • Tendência a guardar rancores recusando-se a perdoar insultos, injúrias ou injustiças cometidas.
  • Interpretações errôneas de atitudes neutras ou amistosas de outras pessoas, tendo respostas hostis ou desdenhosas. Tendência a distorcer e interpretar maléficamente os atos dos outros.
  • Combativo e obstinado senso de direitos pessoais em desproporção à situação real.
  • Repetidas suspeitas injustificadas relativas à fidelidade do parceiro conjugal.
  • Tendência a se autovalorizar excessivamente.
  • Preocupações com fofocas, intrigas e conspirações infundadas a partir dos acontecimentos circundantes.

Transtorno de Personalidade Esquizóide:
Indivíduos distanciados das relações sociais, que não desejam ou não gostam de relacionamentos íntimos, realizando atividades solitárias, de preferência. Pouco ou nenhum interesse em relações sexuais com outra pessoa, e pouco ou nenhum prazer em suas atividades. Não têm amigos íntimos ou confidentes, não se importam com elogios ou críticas, sendo frios emocionalmente e distantes.
Aspectos essenciais
  • Poucas ou nenhuma atividade produzem prazer.
  • Frieza emocional, afetividade distante.
  • Capacidade limitada de expressar sentimentos calorosos, ternos ou de raiva para como os outros.
  • Indiferença a elogios ou críticas.
  • Pouco interesse em ter relações sexuais.
  • Preferência quase invariável por atividades solitárias.
  • Tendência a voltar para sua vida introspectiva e fantasias pessoais.
  • Falta de amigos íntimos e do interesse de fazer tais amizades.
  • Insensibilidade a normas sociais predominantes como uma atitude respeitosa para com idosos ou àqueles que perderam uma pessoa querida recentemente.






Transtorno de Personalidade Borderline:
Indivíduos instáveis em suas emoções e muito impulsivos, com esforços incríveis para evitar abandono (até tentativas de suicídio). Têm rompantes de raiva inadequada. As pessoas a sua volta são consideradas ótimas, mas frente a recusas tornam-se péssimas rapidamente, sendo desconsideradas as qualidades anteriormente valorizadas. Costumam apresentar uma hiper reatividade afetiva, em que as situações boas são ótimas ou excelentes, e as ruins ou desfavoráveis são péssimas ou catastróficas.
Aspectos essenciais
  • Padrão de relacionamento instável variando rapidamente entre ter um grande apreço por certa pessoa para logo depois desprezá-la.
  • Comportamento impulsivo principalmente quanto a gastos financeiros, sexual, abuso de substâncias psicoativas, pequenos furtos, dirigir irresponsavelmente.
  • Rápida variação das emoções, passando de um estado de irritação para angustiado e depois para depressão (não necessariamente nesta ordem).
  • Sentimento de raiva freqüente e falta de controle desses sentimentos chegando a lutas corporais.
  • Comportamento suicida ou auto-mutilante.
  • Sentimentos persistentes de vazio e tédio.
  • Dúvidas a respeito de si mesmo, de sua identidade como pessoa, de seu comportamento sexual, de sua carreira profissional.

Transtorno de Personalidade Anti-social:
Indivíduos que desrespeitam e violam os direitos dos outros, não se conformando com normas. Mentirosos(faz armações, esconde objetos), enganadores e impulsivos(briga e tem vontade de matar o outro), sempre procurando obter vantagens sobre o sofrimento  dos outros. São irritados, irresponsáveis e com total ausência de remorsos, mesmo que digam que têm, mais uma vez tentando levar vantagens. Podem estabelecer relacionamentos afetivos superficiais, mas não são capazes de manter vínculos afetivos mais profundos e duradouros.
Aspectos essenciais
Insensibilidade aos sentimentos alheios
  • Atitude aberta de desrespeito por normas, regras e obrigações sociais de forma persistente.
  • Estabelece relacionamentos com facilidade, principalmente quando é do seu interesse, mas dificilmente é capaz de mantê-los.
  • Baixa tolerância à frustração e facilmente explode em atitudes agressivas e violentas.
  • Incapacidade de assumir a culpa do que fez de errado, ou de aprender com as punições.
  • Tendência a culpar os outros ou defender-se com raciocínios lógicos, porém improváveis.
Transtorno de Personalidade Histriônica:
Indivíduos facilmente emocionáveis, sempre em busca de atenção, sentindo-se mal quando não são o centro das atenções. São sedutores, com mudanças rápidas das emoções. Tentam impressionar aos outros, fazendo uso de dramatizações, e tendem a interpretar os relacionamentos como mais íntimos do que realmente são.
  • Busca freqüentemente elogios, aprovações e reafirmações dos outros em relação ao que faz ou pensa.
  • Comportamento e aparência sedutores sexualmente, de forma inadequada.
  • Abertamente preocupada com a aparência e atratividade físicas.
  • Expressa as emoções com exagero inadequado, como ardor excessivo no trato com desconhecidos, acessos de raiva incontrolável, choro convulsivo em situações de pouco importância.
  • Sente-se desconfortável nas situações onde não é o centro das atenções.
  • Suas emoções apesar de intensamente expressadas são superficiais e mudam facilmente.
  • É imediatista, tem baixa tolerância a adiamentos e atrasos.
Transtorno de Personalidade Obsessivo-Compulsiva:
Indivíduos preocupados com organização, perfeccionismo e controle, sempre atento a detalhes, listas, regras, ordem e horários. Dedicação excessiva ao trabalho, dão pouca importância ao lazer. Teimosos, não jogam nada fora ("pão-duro") e não conseguem deixar tarefas para outras pessoas.
Aspectos essenciais
  • O perfeccionismo pode atrapalhar no cumprimento das tarefas, porque muitas vezes detém-se nos detalhes enquanto atrasa o essencial.
  • Insistência em que as pessoas façam as coisas a seu modo ou querer fazer tudo por achar que os outros farão errado.
  • Excessiva devoção ao trabalho em detrimento das atividades de lazer.
  • Expressividade afetiva fria.
  • Comportamento rígido (não se acomoda ao comportamento dos outros) e insistência irracional (teimosia).
  • Excessivo apego a normas sociais em ocasiões de formalidade.
  • Relutância em desfazer-se de objetos por achar que serão úteis algum dia (mesmo sem valor sentimental)
  • Indecisão prejudicando seu próprio trabalho ou estudo.
  • Excessivamente consciencioso e escrupuloso em relação às normas sociais.



Transtorno de Personalidade Dependente:
Indivíduos que têm necessidade de serem cuidados, submissos, sempre com medo de separações. Têm dificuldades para tomar decisões, necessitam que os outros assumam a responsabilidade de seus atos, não discordam, não iniciam projetos. Sentem-se muito mal quando sozinhos, evitando isso a todo custo.
Aspectos essenciais
  • É incapaz de tomar decisões do dia-a-dia sem uma excessiva quantidade de conselhos ou reafirmações de outras pessoas.
  • Permite que outras pessoas decidam aspectos importantes de sua vida como onde morar, que profissão exercer.
  • Submete suas próprias necessidades aos outros.
  • Evita fazer exigências ainda que em seu direito.
  • Sente-se desamparado quando sozinho, por medos infundados.
  • Medo de ser abandonado por quem possui relacionamento íntimo.
  • Facilmente é ferido por crítica ou desaprovação.
Transtorno de Personalidade Narcisista:

Indivíduos que se julgam grandiosos, com necessidade de admiração e que desprezam os outros, acreditando serem especiais e explorando os outros em suas relações sociais, tornando-se arrogantes. Gostam de falar de si mesmos, ressaltando sempre suas qualidades e por vezes contando vantagens de situações. Não se importam com o sofrimento que causam nas outras pessoas e muitas vezes precisam rebaixar e humilhar os outros para que se sintam melhor.

                 Tratamento

O tratamento desses transtornos baseia-se na Psicoterapia (de orientação analítica ou comportamental na maioria dos casos) e Psicanálise. Algumas vezes deve-se também tratar outros transtornos que se desenvolvem juntamente com esses, e na maioria das vezes, por causa desses. Aparece comumente depressão e ansiedade associados a esses transtornos. A procura pelo atendimento é geralmente estimulada pelos amigos e familiares, que são muito mais incomodados pelo transtorno que o próprio indivíduo. Não se pode esquecer que muitas dessas características fazem parte dos traços normais de muitos indivíduos, e somente quando esses traços são muito rígidos e não adaptativos é que constituem um transtorno.

.                                       Fonte: ABC da saúde e datasus.gv.br