Quem sou eu

Minha foto
Brumadinho, MG, Brazil
Ivani Ferreira é professora e blogueira . Possui graduação em Letras pela Faculdade Asa de Brumadinho (2006), Normal Superior pela Universidade Federal de Montes Claros(2005), especialização em Psicopedagogia pela Universidade Federal Castelo Branco (2007), Supervisão Pedagógica pela FINON (2008). Professora efetiva na rede Municipal de Brumadinho desde 2005, porém, atua na rede municipal com turmas da Educação Infantil , Ensino Fundamental 1 e 2 , desde o ano de 2002. Trabalhou como supervisora pedagógica na Escola Municipal Leon Renault- Brumadinho/MG (2013- 2016). Atualmente trabalha como professora da Educação Infantil na EMEI Nair das Graças Prado em Brumadinho/MG. Sejam bem vindos(as)!!!

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Planejamento para EMEI/Creche



Desenvolvimento   Psicomotor em EMEI/Creche
 
Objetivos:
 
  • Maior autonomia física
  • Aquisição da marcha, correr, subir, descer, saltar, vestir, despir
  • Aquisição de maior controle e coordenação motora
  • Conhecimento dos espaços, permitindo para isso uma exploração ativa dos objetos
  • Estimulara percepção auditiva, táctil, visual, gustativa e olfativa
  • Conhecimento do seu esquema corporal de forma a saber nomear as várias partes do
    corpo
  • Boa preensão do lápis, colheres, etc.
     
Estratégias:
  • Andar de cavalinho, triciclo
  • Fazer brincadeiras livres
  • Fazer modelagem (massa), desenho, rasgagem
  • Imitar os animais a andar
  • Fazer comboios e rodas
  • Praticar jogos de movimento
  • Brincar com  jogos de encaixe
  • Deixar a criança comer sozinha
  • Dar revistas e livros à criança para manusear
  • Colocar um espaço com material (obstáculos) que a criança possa transpor
    de diversas formas: escorrega, mesas, cadeiras, almofadas…
     
                       Estimular as crianças diariamente
 

Desenvolvimento da Linguagem em Creche

 

 
Objetivos:
  • Aumento do vocabulário
  • Ser capaz de associar o objeto ao nome
  • Ter compreensão de tudo o que ouve
  • Ter conhecimento verbal do seu corpo, objetos, alimentos, vestuário,
    brinquedos, animais, ações e noção de espaço
  • Ter maior capacidade de atenção e de memória
  • Estratégias a utilizar:
  • Chamar cada criança e adulto pelo seu nome
  • Articular corretamente as palavras
  • Falar durante as brincadeiras
  • Estimular os gestos simples: palmas, adeus, etc.
  • Ser expressiva a falar
  • Pedir favores simples: objetos que a criança conhece
  • Cantar canções, histórias e lengalengas
  • Imitar sons
  • Repetir várias vezes perguntas simples
  • Encher e esvaziar caixas com objetos diferentes, nomeá-los e pedir à
    criança que os nomeie
  • Incentivar a criança a brincar com jogos e fantoches

     

Desenvolvimento Sócio Afetivo e Intelectual em Creche

 
 
Objetivos:
  • Respeitar a individualidade de cada criança
  • Estabelecer uma boa relação com a criança
  • Proporcionar um ambiente calmo e seguro
  • Desenvolver o respeito pelo outro (saber esperar pela sua vez)
  • Dar resposta a curiosidade da criança
  • Dar liberdade de escolha
  • Aquisição de regras simples
  • Aquisição de hábitos de cortesia
  • Desenvolver a autoconfiança e a autonomia
     
Estratégias a utilizar:
  • Ajudara criança a tolerar as ausências da mãe, permitindo-lhe os
    objetos transitivos (chucha, fralda, boneco, …)
  • Estimular as palavras de cortesia: Olá, Bom Dia, Adeus, …
  • Deixar que a criança realize ações que a divirtam: encher, esvaziar,
    desmanchar, …
  • Criar espaços variados e seguros para que a criança brinque
  • Contar histórias, canções e lengalengas
     
Em Creche…
 
 
  • Não existem jogos nem atividades especiais em si próprios. O calor e a
    afetividade que as envolvem é que contam. Os bebés sentem o
    encorajamento para aprender, experimentar e apreciar, como sentem o
    contrário e se tornam apáticos.
     
  • As atividades dos bebés devem ser integradas na estrutura dos
    contatos naturais com eles. Eles quererão aprender e mostrar-se-ão
    interessados em tudo o que se passa à roda e sobretudo sentir-se-ão
    encorajados para serem ativos e curiosos
  • A conduta dos adultos é um modelo para a conduta das crianças. A
    criança pequena é naturalmente imitadora e apodera-se facilmente
    dos procedimentos que usamos a seu respeito e torna-se nervoso e
    irritável se não temos em conta as suas necessidades. Se os
    adultos são calmos e afetuosos para com ela, a criança responderá
    no mesmo tom.
     
  • Se a criança está apreciar qualquer coisa e deseja continuar, não deve
    ser interrompida. Não se deve forçara criança a mudar de
    atividade, apenas porque pensa que é altura dela fazer outra
    coisa. Deve-se deixar ter a experiência repetida de ser capaz de
    completar uma atividade e satisfazer completamente a sua
    curiosidade acerca de um objeto. A sua capacidade de atenção será
    maior se lhe for permitido seguir o seu próprio ritmo e interesse
     
Objetivos em Creche
 
 
  • A creche organiza atividades adequadas ao bom desenvolvimento da
    criança nesta faixa etária, das quais apresentamos alguns exemplos
    e as respectivas finalidades:
  • Canções – Memorização, linguagem, ritmo, gosto pela música, disciplina;
  • Lengalengas – Exploração dos sons e ritmos, expressão através da linguagem
    oral, gestual e corporal
  • Pintura com dedo, mãos e pés – Exploração de diferentes materiais,
    cores, formas e texturas, controlo da motricidade, gosto estético
  • Jogos– Compreensão de regras, socialização
  • Modelagem – Controle da motricidade, capacidade de exploração
  • Rasgagem e colagem – Motricidade, autonomia, iniciativa
  • Histórias – Descoberta de si e do outro, linguagem verbal e não verbal,
    imaginação
  • Fantoches – Concentração, visualização
  • Brincadeira livre e orientada – Socialização autonomia, liberdade de escolha
     
Atividades em Creche
 

 
  • Os bebés e as crianças pequenas estão sempre dependentes do contato
    humano, de se lhes falar, da atenção que lhes dá e da ternura com
    que recebem.
  • Os amplos processos de aprendizagens que se realizam nesta fase da
    vida, só podem ser acionados no calor seguro de uma relação
    harmoniosa entre pais, educadoras e crianças.
     
Por isso é muito importante:
 
  • Habituação ao contato e necessidades de contato através da proximidade
    corporal, carícias sempre repetidas de olhar para ela, conversar
    com ela, bem como a sua integração no mundo das coisas.
  • Educação da audição e da atenção através de sons barulhentos (vozes,
    campainhas, pandeiretas, etc.) que mais tarde virão em direções
    diferentes, com alturas e sequências de sons diferentes.
    Estimulação da própria produção de ruídos (bater palmas, sons
    de roca, etc.)
  • Educação da visão e da atenção através de estímulos luminosos e em
    movimento, através de objetos com formas simples e cores nítidas
    (bolas, rocas, etc.), para isso é conveniente limitarmo-nos a
    poucos objetos que mostraremos muitas vezes. Mais tarde poderemos
    acrescentar outros objetos mais pequenos, bem como imagens simples.
  • Exercícios de movimentos bucais, sucção, lombar, mastigar (mais tarde, quando
    se dão alimentos sólidos) e igualmente fazer brincadeiras com
    sopro.
  • Ensinar a apalpar, mexendo em vários objetos com a mão (ao principio será
    conduzida).
  • Exercícios para a movimentação das mãos, com estimulação para agarrar, dar
    a mão, bater palmas, dizer adeus, bater à porta, atirar uma bola,
    fazer construções, chapinhar, atirar com coisas, fazer
    brincadeiras simples com os dedos, etc.
  • Educação para a movimentação do corpo, levando os movimentos espontâneos a
    adaptarem-se a um dado ritmo com uma pandeireta cantando; rastejar,
    rebolar-se, endireitar-se, pôr-se em pé, andar de mão dada. A
    articulação da criança através dos exercícios de “ginástica”
    rítmica tem uma importância muito especial.
  • Preparar a capacidade de comunicação da criança chamando-a pelo seu nome
    próprio, dizendo-lhe palavras ternas, dizendo o nome das pessoas e
    coisas e falando-lhe incansavelmente durante todas as atividades.
  • Estímulo para fazer ritmos: em conjunto e para cantar sons e melodias.
    “Ensinar” a criança progressivamente a empregar palavras
    determinadas para exprimir os seus desejos, ao pedir determinado
    objeto, repetindo incansavelmente as palavras e tendo as reações
    apropriadas.
  • Habituar a criança a pouco e pouco a beber pelo seu copo e a comer com a
    colher.
  • Habituar a criança a ter um determinado ritmo de vida.
  • Fazer surgir e aprofundar estímulos emocionais, como alegria, confiança,
    bem-estar, etc. dando à criança possibilidade de fazer
    experiências, exteriorizando sentimentos, deixando-a participar e
    aprovando os seus esforços.
  • Tudo o que se faça terá sempre que ser adaptado à maneira de ser da
    criança.
  • Mostrar à criança como se faz, fazê-la colaborar e estimular a sua
    participação e iniciativa.
  • Todas as capacidades adquiridas devem ser incansavelmente exercitadas e
    repetidas. Tudo o que queremos “ensinar” de novo deverá ser
    incorporado somente através de pequenos passos.
  • Todas as “ordens” que se dão, bem como os estímulos de aprendizagem
    deverão ser simples, calmos mas enérgicos.
  • É muito importante que a criança conheça e brinque com objetos que
    há em todas as casas (tigelas, colheres de pau, molas de roupa,
    botões, papéis, etc.).
  • Além disto são necessários materiais como bolas, argolas para morder,
    bonecos de pano laváveis, cestinhos, bolsas, livros de imagens e
    mais da vida de todos os dias.
 

Um comentário:

  1. Muito bom sue trabalho Prof Ivani, eu particularmente já fiz alguns planos de aula por incentivos dos seu, e deram certo, Parabéns pelo seu trabalho.

    ResponderExcluir