Quem sou eu

Minha foto
Brumadinho, MG, Brazil
Ivani Ferreira é professora e blogueira . Possui graduação em Letras pela Faculdade Asa de Brumadinho (2006), Normal Superior pela Universidade Federal de Montes Claros(2005), especialização em Psicopedagogia pela Universidade Federal Castelo Branco (2007), Supervisão Pedagógica pela FINON (2008). Professora efetiva na rede Municipal de Brumadinho desde 2005, porém, atua na rede municipal com turmas da Educação Infantil , Ensino Fundamental 1 e 2 , desde o ano de 2002. Trabalhou como supervisora pedagógica na Escola Municipal Leon Renault- Brumadinho/MG (2013- 2016). Atualmente trabalha como professora da Educação Infantil na EMEI Nair das Graças Prado em Brumadinho/MG. Sejam bem vindos(as)!!!

domingo, 28 de junho de 2015

Cantinho "junino" da Secretaria Municipal de Educação




Projeto Informática educativa/monitor Victor


Curso para formação de professores/Confeccionando Jogos.

Jogos confeccionados por Kely França, com base no livro Matemática no dia a dia da Educação Infantil/Autora Eliane Reame...











Oficina com  as professoras da Educação infantil
                                  Supervisora Ivani Ferreira
http://escolaleonrenault.blogspot.com.br/2015/07/modulo-2-oficina-jogos-na-educacao.html?showComment=1442842003347#c7983342025663508528

Plano de aula para 1º ano


 

PLANO DE AULA



Professora/estagiária: Gisele

Alunos atendidos: 1º ano

 

Conteúdos: Linguagem oral e escrita, matemática

TEMA: A  História da Dona Baratinha.

 

JUSTIFICATIVA:A História da DONA BARATINHA é um gênero textual que estimula a reflexão sobre o dinheiro e casamento(escolha de um noivo),diferenças... como também possibilita a escrita, leitura e produção de forma dinâmica e prazerosa.

OBJETIVOS:

Ø  Desenvolver no aluno o prazer da leitura,

Ø  Estimular a criatividade e o imaginário.

Ø  Produzir vários gêneros textuais(listas de nomes, bilhete e receita)

 
CRONOGRAMA: 4 horas.

 

METODOLOGIA:

1º Momento: Contar a história “A  Dona Baratinha.”, utilizando um livro gigante.

           Após contar a história, conversar sobre o texto?

Problematize questionando:


-Qual era o desejo da D. Baratinha?
-O que aconteceu para que ela acreditasse que poderia realizar o seu desejo?
-Quais os animais quiseram casar com ela e foram recusados?
-O que fez D. Baratinha recusar seus pretendentes?
-Porque ela não se casou?
-Vocês mudariam o final da história? (ouvir as várias sugestões)

 

Após contar a história, combinar de dramatizá-la no final da aula , com os alunos.

 

2º Momento: Hora da produção:

 

    Como toda festa(casamento) precisa  de preparativos... conversar com os alunos que eles irão criar um anúncio sobre o casamento da Dona Baratinha.

 

 Anúncio

 

Ø Produzir um anúncio(coletivo) avisando sobre o casamento da Dona Baratinha.

Ø Escolher um aluno para fazer um cartaz com o anúncio para colocar no pátio.

 

3º Momento: Receita
Na festa da dona Baratinha vai ser servido um caldo de feijão ...então vamos ler a receita do caldo.

Ler a receita e registrar os ingredientes , no caderno .
 

4º Momento: Lista de convidados:

 

Criar uma lista de convidados para a festa da dona baratinha(Geralmente eles irão escolher entre os colegas da turma).

5ºMomento: Teatro  da Dona Baratinha

 

Realizar o teatro /dramatização da Dona Baratinha cantando....

Música: Dona Baratinha
Eliana

Era uma vez
uma baratinha
que queria que queria se casar
saiu voando procurando um barato
mas o barato tá difícil de achar  chá chá chá cha chá
quem quer casar com a dona baratinha
que é bonitinha
e tá prontinha pra casar
também tem dinheiro na caixinha
e gosta muito de dançar o  chá chá chá...

  Recursos didáticos: Livro Com a história da Dona Baratinha; material impresso contendo a receita, Aparelho de som.

 

AVALIAÇÃO: Acompanhar atentamente o envolvimento dos alunos no decorrer das atividades propostas, por meio da observação.

domingo, 7 de junho de 2015

Pipoca na panela

Uma pipoca estourando na panela,
Outra pipoca vem correndo conversar
Ai começa um tremendo falatório,
E ninguém mais consegue se entender.
É um tal de ploc (pulo pra frente)
Plo-ploc ploc ploc (4 pulos pra trás)
Plo-ploc ploc ploc (4 pulos pra direita)
Plo-ploc ploc ploc (4 pulos pra esquerda)
É um tal de ploc (pulo pra frente)
Plo-ploc ploc ploc (4 pulos pra trás)
Plo-ploc ploc ploc (4 pulos pra direita)
Plo-ploc ploc ploc (4 pulos pra esquerda)

Dever de casa ou Para casa, para quem?


quinta-feira, 4 de junho de 2015

Escola para Todos: promovendo uma educação antirracista

Conceitos Básicos para refletirmos


AMBIÊNCIA RACIAL: Para compreendermos o termo, se faz necessário desmembrá-lo: Ambiência é entendida como um espaço arquitetonicamente organizado e animado que constitui um meio físico e, ao mesmo tempo, meio estético ou psicológico, especialmente preparado para o exercício de atividades humanas. Racial é um adjetivo relativo à raça, sendo essa um grupo de pessoas que se distinguem de outras coletividades por suas características socioculturais (língua, religião, história, tradições, etc.).  Por tanto, Ambiência racial trata-se de um meio físico, estético ou psicológico, no qual podem ser identificadas referências às características socioculturais de um ou mais grupos raciais.

COR: Cor é um fenômeno físico e o termo melhor utilizado para definição cromática de qualquer matéria, do que propriamente para distinção de pessoas, embora seja empregado para definição de pigmentação epidérmica dos seres humanos. Muitas vezes, a palavra é utilizada em nossa língua (encontra-se plenamente enraizada em nosso cotidiano) como sinônimo de raça, por vezes até como forma de eufemismo.

DISCRIMINAÇÃO: É a conduta (pode ser de ação ou omissão) que viola direitos das pessoas com base em critérios injustificados e injustos tais como: a raça, o sexo, a idade, a opção religiosa, a sexual e outras.

EDUCAÇÃO ANTIRRACISTA: A Educação Antirracista é uma variedade de estratégias organizacionais, curriculares e pedagógicas com o objetivo de promover a igualdade racial e para eliminar formas de discriminação e opressão, tanto individual como institucional. Essas reformas envolvem uma avaliação tanto do currículo oculto como do currículo formal.

ETNIA: Refere-se a um grupo de pessoas que compartilham algumas heranças históricas e /ou características culturais ou linguísticas. Um grupo étnico pode ou não apresentar características físicas comuns. Podemos considerar que a discriminação é em última análise a materialização do racismo, do preconceito e do estereótipo. 
PRECONCEITO: É uma ideia que fazemos de uma pessoa, grupo de indivíduos ou povo, que ainda não conhecemos. É o tipo do sentimento ou opinião que não possui fundamento racional. Preconceitos estão enraizados em todas as culturas, são difíceis de serem eliminados porque as pessoas são sempre mais inclinadas a ficarem com suas próprias ideias mesmo que, sejam ideias falsas. O preconceito serve para justificar o injustificável, ou seja, o tratamento desigual e a discriminação que são dirigidos a indivíduos ou grupos.

PRECONCEITO RACIAL: Conceito negativo prévio com relação a uma determinada raça.

RAÇA: Durante muito tempo, raça foi encarada apenas como um conceito biológico, defendido pelas teorias racistas no século XIX. Atualmente, é assumido como um conceito social e político que permite compreender as discriminação é em última análise a materialização do racismo, do preconceito e do estereótipo. 
PRECONCEITO: É uma ideia que fazemos de uma pessoa, grupo de indivíduos ou povo, que ainda não conhecemos. É o tipo do sentimento ou opinião que não possui fundamento racional. Preconceitos estão enraizados em todas as culturas, são difíceis de serem eliminados porque as pessoas são sempre mais inclinadas a ficarem com suas próprias ideias mesmo que, sejam ideias falsas. O preconceito serve para justificar o injustificável, ou seja, o tratamento desigual e a discriminação que são dirigidos a indivíduos ou grupos.

PRECONCEITO RACIAL: Conceito negativo prévio com relação a uma determinada raça.

RAÇA: Durante muito tempo, raça foi encarada apenas como um conceito biológico, defendido pelas teorias racistas no século XIX. Atualmente, é assumido como um conceito social e político que permite compreender as desigualdades entre os seres humanos e as discriminações geradas contra determinadas pessoas ou grupos em função da cor da pele, do cabelo, de outras características físicas ou da origem regional ou cultural.

RACISMO: Essa palavra serve para designar um comportamento hostil e de menosprezo em relação a pessoas de grupos humanos cujas características intelectuais ou morais são consideradas “inferiores”, por outros grupos que se consideram “superiores”,e sendo diretamente relacionadas a características “raciais” ou seja, físicas ou biológicas. Acredita-se que tal conceito surgiu no âmbito da sociedade ocidental no século XVIII, quando esta procurava pretensas bases científicas para explicar as diferenças entre os seres humanos e justificar a dominação do branco europeu sobre os povos de outros continentes durante a expansão colonial. Durante o século XIX e até meados do século XX, o racismo fixou-se como uma doutrina e, como tal foi amplamente difundido pelos meios científicos. Infelizmente, o mundo teve que assistir a perseguição e ao massacre de judeus e ciganos, pelos nazistas, durante a 2ª Guerra Mundial, antes que o racismo fosse universalmente repudiado. Entretanto, sabemos especialmente em relação aos negros, ele o racismo não desapareceu, apenas ficou dissimulado no cotidiano, silencioso e sem rosto, mas se afirmando na intimidade, mas presente, em todos os espaços sociais, quando menos se espera, particularmente na escola e no mercado de trabalho. E o mais interessante é que, como dizia o sociólogo Florestan Fernandes, o brasileiro parece ter “preconceito contra ter preconceito”. Ninguém (ou poucos) se admitem racistas, mas quando interrogados, afirmam que existe sim, racismo no Brasil. Um racismo que parece estar sempre “no outro” e não nele.

*Conceitos retirados do livro: Indicadores da qualidade na educação: relações raciais na escola/Ação Educativa, Unicef, SEPPIR, MEC (Denise Carreira e Ana Lúcia Silva Souza) - São Paulo: Ação Educativa, 2013, 1ºedição
**Conceito de cor retirado do artigo: Preconceito racial contra o negro à luz da Lei nº 7.716/89 - crimes resultantes de preconceito de raça e cor: http://jus.com.br/artigos/29420/preconceito-racial-contra-o-negro-a-luz-da-lei-n-7-716-89-crimes-resultantes-de-preconceito-de-raca-e-cor#ixzz3VIxq37OM

quarta-feira, 3 de junho de 2015

ATIVIDADE/ POEMA ÁRVORE


ÁRVORE

                                                                                     ADRIANA FELISBINO

ÁRVORE É MINHA AMIGA
MINHA AMIGA ELA É
EU SÓ TENHO QUE CUIDAR DELA
PRA ELA NÃO FICAR LELÉ